quinta-feira, novembro 08, 2007

ad sæcula

http://ultimainstancia.uol.com.br/noticia/44299.shtml

Cansa-me um pouco certa condescendência dos jurados que condenam pessoas (eu disse pessoas??) como o assassino de Liana e Felipe,
a 110 anos de cadeia - quando o dobro bastaria...
Mas ajudaria muito na diminuição da criminalidade, se bandidos (ops... bandido não pode: os cabras safados da peste..) cumprissem a pena determinada.
30 anos de pena?
30 anos cumpridos.

16 comentários:

Jens disse...

Oi Florzinha.
Gostei da precisão da pena: 110 e anos E 18 DIAS.
Na realidade, este tipo de condenação realça a hipocrisia do nosso Código Penal. Porque 110 se o cara não pode cumprir mais 30 anos? - sendo que em oito provavelmente vai estar nas ruas, pronto para matar novamente.
O negócio é alterar o Código Penal, de modo que 30 sejam 30, 20 sejam 20 e assim por diante.
Eu disse mudar a Legislação Penal? Passa pelo Congresso Nacional? Então, esquece... (a não ser que o assunto proporcione, sabe-se lá como, uma boa possibilidade de barganhar cargos).
Este país me cansa. Por isto moro na República do Rio Grande.
***
Bom findi. Um beijo.

Manoel Carlos disse...

Não me meterei a rábula, mas o problema é exatamente do Código de Execuções Penais. A condenação a cento e dez anos significa que, com todos os benefícios previstos na lei, o condenado não sairá da cadeia com menos de trinta anos.

R.C disse...

No Brasil, e em boa parte do mundo, a maior pena consiste do nascimento a morte do individuo.

bjx

RF

Marcelo F. Carvalho disse...

Acantha, estou com você! Se 30 fossem 30... Mas preciso condenar a 1 milhão de anos-luz pro sijeito "puxar" alguns aninhos... E dá-lhe Brasil!

Eduardo disse...

Sugiro algo mais brando: dez anos de prisão, mas com tortura brava doze horas por dia. Ou o Código de Hamurábi. Olho por olho, desde que o olho esteja furado e sangrando, e o dente arrancado pela raíz. Não, não sou mau, hehehehe....

Acantha disse...

Penso em mudar-me para seu país, JENS...

acantha disse...

Assim seja, MANOEL CARLOS...

acantha disse...

Pensável, ROY...Pensável.

acantha disse...

Ah, MARCELO... Lembra-se do "brasileiro: profissão esperança"? Pois, meu querido..

acantha disse...

Não, pequeno EDUARDINHO... Você é um anjo de candura e bondade...

Gustavo Chaves disse...

Bem acantha, eu sou abolicionista e garantista penal, e ao contrario do jens não acho que em oito anos eles estarão prontos para matar, o caminho certamente não é a condenção, o caminho não é a prisão, um país que vive uma crise moral ad eternum possibilita a existencias de assassinos sem "precedentes sociais", quanto aos com "precedentes sociais" é muito fácil julgarmos quem nunca soube o que é justiça em toda sua vida!

Ane Brasil disse...

Bah, bicho,complicado esse lance de pena... pô, condenam os caras a cento e tantos anos mas eles só puxam 30... totalmente fora de lógica.
Sorte e saúde pra todos!

Acantha disse...

Em princípio, a condenação se deve à soma de penas para os inúmeros crimes cometidos, até onde sei, ANE querida. Depois, dificilmente se vive até os cento e tantos anos, o que possibilitaria o cumprimento total dela.
Pena mesmo, é que a pena seja leve como uma pena para determinados casos...
30 anos? Muito pouco pela vida de um filho...

acantha disse...

Considerando-se que a justiça fosse justa, GUSTAVO..

Marcelo F. Carvalho disse...

Acantha, continuo achando a sua postangem nota 10! MAto qualquer filho-da-... que violentar minha filha...
__________________
Abraço forte!

acantha disse...

Dizem que podemos afirmar que jamais roubaremos ou furtaremos ou ultrapassaremos pela direita, MARCELO.
Mas que é impossível afirmar que jamais mataremos.
E, se o assunto envolve filho, com certeza também mato e danço fado no túmulo do cabra...